quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Um exemplo do melhor e do pior

O melhor suspense
Digo que 'O Massacre da Serra Elétrica' é o melhor suspense que já assisti porque, baseado em fatos realíssimos, é de arrepiar o pelo do braço. Não fosse a coragem de uma das vítimas de Thomas Hewitt, dificilmente o serial Killer seria descoberto. Macabro demais.
  • Do cinepop:
Em 20 de agosto de 1973, a polícia foi chamada à remota fazenda de Thomas Hewitt, onde funciona o matadouro local no distrito de Travis, no Texas. Foi encontrado no interior da misteriosa casa os restos de 33 vítimas humanas, uma descoberta assustadora que chocou e aterrorizou a nação, e que muitos ainda consideram o mais famoso caso de assassinato em massa de todos os tempos. Usando uma grotesca máscara feita a partir da pele do rosto de suas vítimas e brandindo uma moto-serra, o assassino, conhecido como "Leatherface" (face de couro), virou manchetes dos jornais do estado com o título: "A Casa do Terror Horroriza uma Nação - Massacre no Texas." As autoridades locais teriam matado um homem que usava uma máscara de couro e afirmado que ele seria o assassino, fechando o caso, subitamente. Entretanto, nos anos que se seguiram, muitas pessoas ligadas à chacina acusaram a polícia de fazer uma péssima investigação e de saber, de antemão, que havia matado o homem errado.



O pior em tudo
Faço minhas as palavras de L.: o pior filme já visto na minha vida. 'A Prisioneira' não tem sentido em nenhuma de suas cenas. Parece que o filme foi dividido segundo o livro que estou lendo no momneto, ou seja, alguém fez a história, outro coloriu, outro escolheu os personagens, alguém resolveu botar o dedo sem ter nada a ver com o projeto... enfim, não perca seu precioso tempo dentro de uma repetição de clichês cansados e um roteiro sem pé nem cabeça. A sinopse é apenas uma pegadinha de alguma câmera escondida, que instalaram dentro das locadoras. Agora, se você é corajosa (o) o bastante, me explique a frase: "-Agora eu quero que vocês dancem."
Tenho raiva só em pensar que milhares de filmes bem melhor estavam ao meu alcance e peguei essa porcaria.


Um exemplo do melhor e do pior

O melhor suspense
Digo que 'O Massacre da Serra Elétrica' é o melhor suspense que já assisti porque, baseado em fatos realíssimos, é de arrepiar o pelo do braço. Não fosse a coragem de uma das vítimas de Thomas Hewitt, dificilmente o serial Killer seria descoberto. Macabro demais.
  • Do cinepop:
Em 20 de agosto de 1973, a polícia foi chamada à remota fazenda de Thomas Hewitt, onde funciona o matadouro local no distrito de Travis, no Texas. Foi encontrado no interior da misteriosa casa os restos de 33 vítimas humanas, uma descoberta assustadora que chocou e aterrorizou a nação, e que muitos ainda consideram o mais famoso caso de assassinato em massa de todos os tempos. Usando uma grotesca máscara feita a partir da pele do rosto de suas vítimas e brandindo uma moto-serra, o assassino, conhecido como "Leatherface" (face de couro), virou manchetes dos jornais do estado com o título: "A Casa do Terror Horroriza uma Nação - Massacre no Texas." As autoridades locais teriam matado um homem que usava uma máscara de couro e afirmado que ele seria o assassino, fechando o caso, subitamente. Entretanto, nos anos que se seguiram, muitas pessoas ligadas à chacina acusaram a polícia de fazer uma péssima investigação e de saber, de antemão, que havia matado o homem errado.



O pior em tudo
Faço minhas as palavras de L.: o pior filme já visto na minha vida. 'A Prisioneira' não tem sentido em nenhuma de suas cenas. Parece que o filme foi dividido segundo o livro que estou lendo no momneto, ou seja, alguém fez a história, outro coloriu, outro escolheu os personagens, alguém resolveu botar o dedo sem ter nada a ver com o projeto... enfim, não perca seu precioso tempo dentro de uma repetição de clichês cansados e um roteiro sem pé nem cabeça. A sinopse é apenas uma pegadinha de alguma câmera escondida, que instalaram dentro das locadoras. Agora, se você é corajosa (o) o bastante, me explique a frase: "-Agora eu quero que vocês dancem."
Tenho raiva só em pensar que milhares de filmes bem melhor estavam ao meu alcance e peguei essa porcaria.


Era uma vez, uma lata de biscoitos Bauducco

Transformação total de uma lata de biscoitos Bauducco. Pintei por fora de preto, fiz uma decoupage com papel imitando jornal e colei tecido xadrez na tampa da lata e no recipiente todo. Um luxo. Principalmente pra presentear alguém com docinhos, balas ou biscoitos dentro dela.



R$ 42,00

Era uma vez, uma lata de biscoitos Bauducco

Transformação total de uma lata de biscoitos Bauducco. Pintei por fora de preto, fiz uma decoupage com papel imitando jornal e colei tecido xadrez na tampa da lata e no recipiente todo. Um luxo. Principalmente pra presentear alguém com docinhos, balas ou biscoitos dentro dela.



R$ 42,00

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Cheguei. Bem cansada. E com cólica. 1 semana longe da minha cama corresponde a 10 dias consecutivos de delírio sempre que a vejo. Será assim até a próxima semana, onde outra viagem fará parte do feriado de Dia das Crianças. Caso de amor com a cama. Saudade da cama. Novas resoluções: painel de fotos com objetivos para atingir. Mentalizo "O Segredo" e não abro o bico pra não ouvir que é pura bobagem. Aguardo as duas revistas que assinei, da Editora Abril, e estão atrasadas. Pego no tranco. 53 e-mails spam. Raiva disso; muita raiva. Colocar a vida em ordem, só amanhã porque já é tarde. Recomeço a leitura do livro de onde parei (até que não esqueci nadica de nada só de dar uma sapiada).
E durante a semana eu conto de novos filmes que vi, novas músicas que ouvi e impressões aqui e acolá.


Cheguei. Bem cansada. E com cólica. 1 semana longe da minha cama corresponde a 10 dias consecutivos de delírio sempre que a vejo. Será assim até a próxima semana, onde outra viagem fará parte do feriado de Dia das Crianças. Caso de amor com a cama. Saudade da cama. Novas resoluções: painel de fotos com objetivos para atingir. Mentalizo "O Segredo" e não abro o bico pra não ouvir que é pura bobagem. Aguardo as duas revistas que assinei, da Editora Abril, e estão atrasadas. Pego no tranco. 53 e-mails spam. Raiva disso; muita raiva. Colocar a vida em ordem, só amanhã porque já é tarde. Recomeço a leitura do livro de onde parei (até que não esqueci nadica de nada só de dar uma sapiada).
E durante a semana eu conto de novos filmes que vi, novas músicas que ouvi e impressões aqui e acolá.


sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A Troca


Depois de dois filmes que abordam a guerra ("A Conquista da Honra" e " As Cartas de Iwo Jima"), o diretor Clint Eastwood, revela, com toda a sutileza inesperada (por mim, pelo menos) a corrupção da polícia americana. Na minha opinião, ele se torna um dos diretores que eu mais gosto. Quanto ao filme: imagine-se mulher, vivendo na década de 30, com um filho de 9 anos. Num dia, na volta pra casa do seu trabalho, percebe que seu filho sumiu. Meses depois, a polícia, pra demonstrar competência, lhe devolve um menino qualquer - o qual você, como mãe, tem certeza que não é seu filho. Após várias tentativas que a polícia faz para convencê-la de que aquele garoto é seu filho (tipo uma lavagem cerebral), você é tida como louca e internada num hospício. É um desespero. E a história se desenrola num drama que prende a atenção até o fim.

Li que esse filme foi lançado 20 dias após a posse de Barak Obama para dar uma "certa esperança ao povo americano". Sacou o paradoxo entre desespero e esperança? Whatever.

A Troca


Depois de dois filmes que abordam a guerra ("A Conquista da Honra" e " As Cartas de Iwo Jima"), o diretor Clint Eastwood, revela, com toda a sutileza inesperada (por mim, pelo menos) a corrupção da polícia americana. Na minha opinião, ele se torna um dos diretores que eu mais gosto. Quanto ao filme: imagine-se mulher, vivendo na década de 30, com um filho de 9 anos. Num dia, na volta pra casa do seu trabalho, percebe que seu filho sumiu. Meses depois, a polícia, pra demonstrar competência, lhe devolve um menino qualquer - o qual você, como mãe, tem certeza que não é seu filho. Após várias tentativas que a polícia faz para convencê-la de que aquele garoto é seu filho (tipo uma lavagem cerebral), você é tida como louca e internada num hospício. É um desespero. E a história se desenrola num drama que prende a atenção até o fim.

Li que esse filme foi lançado 20 dias após a posse de Barak Obama para dar uma "certa esperança ao povo americano". Sacou o paradoxo entre desespero e esperança? Whatever.

Foto do Lê


Essa foto foi tirada no penúltimo dia dos homens de azul aqui em Sampa. Pra variar, ele tem sempre o ângulo certo. A-DO-ROOOOOOOOOOO...!!!

Foto do Lê


Essa foto foi tirada no penúltimo dia dos homens de azul aqui em Sampa. Pra variar, ele tem sempre o ângulo certo. A-DO-ROOOOOOOOOOO...!!!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ADD



Filme criado pela age. para a ADD (Associação Desportiva para Deficientes. Para provar que o deficiente pode fazer qualquer coisa, a agência convidou um cego, Teco Barbero, para clicar a imagen usada na peça impressa da campanha. Teco, 28 anos, é fotógrafo profissional. E-MO-CI-O-NAN-TE.

ADD



Filme criado pela age. para a ADD (Associação Desportiva para Deficientes. Para provar que o deficiente pode fazer qualquer coisa, a agência convidou um cego, Teco Barbero, para clicar a imagen usada na peça impressa da campanha. Teco, 28 anos, é fotógrafo profissional. E-MO-CI-O-NAN-TE.

+ 1 Mandala


Acabei mais uma mandala. Esta aqui, de tamanho menor do que a anterior. Acrescentei uns espelhos e sementes secas. Está na loja. Quem sabe a "força da mandala" faz um esforçozinho e eu consigo vendê-la.

+ 1 Mandala


Acabei mais uma mandala. Esta aqui, de tamanho menor do que a anterior. Acrescentei uns espelhos e sementes secas. Está na loja. Quem sabe a "força da mandala" faz um esforçozinho e eu consigo vendê-la.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Julie Peel



Foi no Blip da Amandita que conheci a voz gostosa da canadense Julie Peel. A música 'Unfold' lembrou muito o estilo de Enya, bem indie e folclórico. Um jeito diferente de cantar e ouvir música.
Como ela mesma diz (a Amanda), é bem cara de fim de dia. Mas somente para aqueles dias nublados e chuvosos como hoje. Não ouvi o restante do CD Near the sun, mas acredito que tenha músicas deliciosas como esta que coloquei aqui. Uma palhinha.



P.S.: a música 'Sister' também é demais de linda.

Julie Peel



Foi no Blip da Amandita que conheci a voz gostosa da canadense Julie Peel. A música 'Unfold' lembrou muito o estilo de Enya, bem indie e folclórico. Um jeito diferente de cantar e ouvir música.
Como ela mesma diz (a Amanda), é bem cara de fim de dia. Mas somente para aqueles dias nublados e chuvosos como hoje. Não ouvi o restante do CD Near the sun, mas acredito que tenha músicas deliciosas como esta que coloquei aqui. Uma palhinha.



P.S.: a música 'Sister' também é demais de linda.

Perfect!


Quando li essa frase no blog Me, Myself and Sally, logo pedi emprestada. Qual é a mentira dela? Tudo VER-DA-DE.


Perfect!


Quando li essa frase no blog Me, Myself and Sally, logo pedi emprestada. Qual é a mentira dela? Tudo VER-DA-DE.


segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Multi


Fiz mais 2 cursos. Amei. Os dois. Resultados lindíssimos no final das contas. Preciso finalizar um dos trabalhos. Muito passo-a-passo e o final de semana foi corridíssimo. Ok, ainda tenho tempo de sobra.

P.S.: Não sei se vivo no mundo de Lost. Prefiro acreditar que os fins justificam os meios.

Multi


Fiz mais 2 cursos. Amei. Os dois. Resultados lindíssimos no final das contas. Preciso finalizar um dos trabalhos. Muito passo-a-passo e o final de semana foi corridíssimo. Ok, ainda tenho tempo de sobra.

P.S.: Não sei se vivo no mundo de Lost. Prefiro acreditar que os fins justificam os meios.

Atualização do original


Quando assisti ao 'Sequestro do Metrô 123' não sabia que se tratava do remake de um clássico de Hollywood.O que mudou foi o ritmo. Este muito mais acelerado. O filme cumpre com a promessa de suspense. São 121 minutos sem piscar. Sem tirar os olhos da tela. As atuações de Denzel Washington e John Travolta estão demais. Vale a pena.
  • sinopse
Em O Sequestro do Metrô (The Taking of Pelham 1 2 3), Denzel Washington estrela como Walter Garber, um controlador de tráfego do metrô da cidade de Nova York, que tem seu dia transformado em caos por um crime audacioso: o sequestro de um dos carros do metrô. John Travolta estrela como Ryder, a mente criminosa, que como líder de uma gangue de bandidos fortemente armados, ameaça executar os passageiros do carro, a menos que um enorme resgate seja pago no prazo de uma hora. Enquanto a tensão aumenta sob seus pés, Garber aplica seu amplo conhecimento do sistema metroviário numa batalha para enganar Ryder e salvar os reféns. Entretanto, existe um enigma que Garber não pode resolver: mesmo que os ladrões consigam o dinheiro, como eles poderiam fugir?


Atualização do original


Quando assisti ao 'Sequestro do Metrô 123' não sabia que se tratava do remake de um clássico de Hollywood.O que mudou foi o ritmo. Este muito mais acelerado. O filme cumpre com a promessa de suspense. São 121 minutos sem piscar. Sem tirar os olhos da tela. As atuações de Denzel Washington e John Travolta estão demais. Vale a pena.
  • sinopse
Em O Sequestro do Metrô (The Taking of Pelham 1 2 3), Denzel Washington estrela como Walter Garber, um controlador de tráfego do metrô da cidade de Nova York, que tem seu dia transformado em caos por um crime audacioso: o sequestro de um dos carros do metrô. John Travolta estrela como Ryder, a mente criminosa, que como líder de uma gangue de bandidos fortemente armados, ameaça executar os passageiros do carro, a menos que um enorme resgate seja pago no prazo de uma hora. Enquanto a tensão aumenta sob seus pés, Garber aplica seu amplo conhecimento do sistema metroviário numa batalha para enganar Ryder e salvar os reféns. Entretanto, existe um enigma que Garber não pode resolver: mesmo que os ladrões consigam o dinheiro, como eles poderiam fugir?


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Esqueceram da continuidade

Antes de ontem assisti um pedaço do canal Woohoo e vou te falar que não são somente as novelas que pecam na continuidade do enredo. O clip da música "That´s not my name", do dueto inglês 'The Ting Tings' chega bonito até mais da metade. Aí, acho que os caras não tinham imagens suficientes (e bacanas) da dupla dinâmica, e passaram a repetir cenas da vocalista. Tem um determinado momento em que ela joga uma boina X. Aos 45 minutos do 2º tempo, ela volta com a boina X, sem ao menos ter colocado-a novamente. Sei lá, acho que tô chata. E justificando a falta de perfeição onde não deveria existir.
Não contente com toda a chatice que envolve meus dias recentes, fui pesquisar sobre eles na internet e existe mais de uma versão do clip. A moda das tribes, onde rumam milhares de adolescentes, e onde, está comprovado, é o ponto de encontro das mais variáveis drogas sintéticas, é tema de um deles. Ok, vou explicar: não é revolta da minha parte. Nesse caso, nem a chatonilce é desculpa. Simplesmente as apologias a algo que não é bom (sem contar a falta de qualidade da música) é cada vez mais evidente nos clips. Pior de tudo é constatar que são os mais aclamados, uma vez que essa música chegou ao topo das paradas na Europa e Estados Unidos. Bom, se chegou lá, deve ter chegado por aqui também. Deve ser o meu lado Blue Man Group aflorado...rs.

P.S. 1: e essa letra? De onde vem?

P.S. 2: graças a Deus na minha ápoca, sinônimo de dueto era Roxette.


The Ting Tings - That's Not My Name

Esqueceram da continuidade

Antes de ontem assisti um pedaço do canal Woohoo e vou te falar que não são somente as novelas que pecam na continuidade do enredo. O clip da música "That´s not my name", do dueto inglês 'The Ting Tings' chega bonito até mais da metade. Aí, acho que os caras não tinham imagens suficientes (e bacanas) da dupla dinâmica, e passaram a repetir cenas da vocalista. Tem um determinado momento em que ela joga uma boina X. Aos 45 minutos do 2º tempo, ela volta com a boina X, sem ao menos ter colocado-a novamente. Sei lá, acho que tô chata. E justificando a falta de perfeição onde não deveria existir.
Não contente com toda a chatice que envolve meus dias recentes, fui pesquisar sobre eles na internet e existe mais de uma versão do clip. A moda das tribes, onde rumam milhares de adolescentes, e onde, está comprovado, é o ponto de encontro das mais variáveis drogas sintéticas, é tema de um deles. Ok, vou explicar: não é revolta da minha parte. Nesse caso, nem a chatonilce é desculpa. Simplesmente as apologias a algo que não é bom (sem contar a falta de qualidade da música) é cada vez mais evidente nos clips. Pior de tudo é constatar que são os mais aclamados, uma vez que essa música chegou ao topo das paradas na Europa e Estados Unidos. Bom, se chegou lá, deve ter chegado por aqui também. Deve ser o meu lado Blue Man Group aflorado...rs.

P.S. 1: e essa letra? De onde vem?

P.S. 2: graças a Deus na minha ápoca, sinônimo de dueto era Roxette.


The Ting Tings - That's Not My Name

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Da "gênia" do samba

"A solidão não deixará
Quem tem o dom de odiar
Pra magoar quem sabe amar"

  • Yvonne Lara

Da "gênia" do samba

"A solidão não deixará
Quem tem o dom de odiar
Pra magoar quem sabe amar"

  • Yvonne Lara

Turbinado


O quê? Os seios? Não, são os cílios mesmo. Pra felicidade geral da mulherada (e minha particularmente), a Vogue de agosto/09 publicou uma matéria sobre um produto que faz crescer os cílios, além de escurecer e engrossá-los. Basicamente ele promete:

25% mais longos
18% mais escuros
106% mais espessos

O babado atende pelo nome de Latisse. Pelo que li, é preciso passá-lo uma vez ao dia na base dos cílios. Os resultados aparecem em 1 mês. EU QUE-RO.


P.S.: o Latisse só será vendido mediante a apresentação de uma receita médica. Agora a dúvida cruel: receita de um dermato ou de um oftalmo? Péééééééééé..... faltou essa informação essencial.


Turbinado


O quê? Os seios? Não, são os cílios mesmo. Pra felicidade geral da mulherada (e minha particularmente), a Vogue de agosto/09 publicou uma matéria sobre um produto que faz crescer os cílios, além de escurecer e engrossá-los. Basicamente ele promete:

25% mais longos
18% mais escuros
106% mais espessos

O babado atende pelo nome de Latisse. Pelo que li, é preciso passá-lo uma vez ao dia na base dos cílios. Os resultados aparecem em 1 mês. EU QUE-RO.


P.S.: o Latisse só será vendido mediante a apresentação de uma receita médica. Agora a dúvida cruel: receita de um dermato ou de um oftalmo? Péééééééééé..... faltou essa informação essencial.


UP

Não, não é o nome de uma das músicas da Shania Twain (aliás, tô sem saber até agora se ela vem mesmo ao Brasil no próximo mês). 'UP' é o nome do novo desenho da Pixar. Primeiro fiquei resistente por ser outro desenho (nada contra, mas a última vez que pisei no Esplanada, assisti 'A Era do Gelo 3'). Durante o filme, chorei. Depois, saí alegre por ter aceitado a sugestão. A mensagem do filme é lindíssima: finalmente, o filho reencontra o que poderia ser seu pai e vice-versa. Além disso, é uma história que fala sobre nossas realizações pessoais, nossos sonhos e a satisfação plena de concretizá-los. Por isso, acredito que a faixa etária de 'UP' seja mais adulta. Ainda bem que a Pixar não deixou de algumas de suas características para trás quando se fundiu com a Disney. Quem quiser ir ao cinema pra se emocionar (e se divertir ao mesmo tempo com as falas de Russell - o explorador da natureza), não pode perder mais um gol da Pixar, que foi abertura do Festival de Cannes 2009.

UP

Não, não é o nome de uma das músicas da Shania Twain (aliás, tô sem saber até agora se ela vem mesmo ao Brasil no próximo mês). 'UP' é o nome do novo desenho da Pixar. Primeiro fiquei resistente por ser outro desenho (nada contra, mas a última vez que pisei no Esplanada, assisti 'A Era do Gelo 3'). Durante o filme, chorei. Depois, saí alegre por ter aceitado a sugestão. A mensagem do filme é lindíssima: finalmente, o filho reencontra o que poderia ser seu pai e vice-versa. Além disso, é uma história que fala sobre nossas realizações pessoais, nossos sonhos e a satisfação plena de concretizá-los. Por isso, acredito que a faixa etária de 'UP' seja mais adulta. Ainda bem que a Pixar não deixou de algumas de suas características para trás quando se fundiu com a Disney. Quem quiser ir ao cinema pra se emocionar (e se divertir ao mesmo tempo com as falas de Russell - o explorador da natureza), não pode perder mais um gol da Pixar, que foi abertura do Festival de Cannes 2009.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

  • by Junia Machado
  • by Junia Machado

Me adora - Pitty


monte sua rádio no letras.com.br

Essa música está caracterizada pelos sites com 3 estilos: Pop/Rock ou Rock ou Hardcore. Na minha visão (leiga), um é diferente do outro. Vai entender esses mega entendedores de música...


Me adora - Pitty


monte sua rádio no letras.com.br

Essa música está caracterizada pelos sites com 3 estilos: Pop/Rock ou Rock ou Hardcore. Na minha visão (leiga), um é diferente do outro. Vai entender esses mega entendedores de música...


Frase do gênio da arquitetura

"Procure aquilo em que você é realmente bom e seja excelente"
  • de Oscar Niemeyer

Eu sei. É que, às vezes, eu não paro pra pensar no óbvio.

Frase do gênio da arquitetura

"Procure aquilo em que você é realmente bom e seja excelente"
  • de Oscar Niemeyer

Eu sei. É que, às vezes, eu não paro pra pensar no óbvio.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Blue Man Group 2009

O show é o máximo em sonoplastia e cor. Supercontagiante, quer dizer, você entra no esquema dos caras e a ideologia de "diversão sem preconceitos". A cada país que eles visitam há uma pequena adaptação de músicas. Dá pra acreditar que o trio (junto com uma banda imensa por trás) tocam "Detalhes", de Roberto Carlos, com as baquetas incandescentes naqueles canos de PVC? O tema foi inspirado nas bandas de rock, ou seja, para participar e se sentir membro de um grupo seleto de cabeludos, é só seguir o manual que é "oferecido" no show. Disso em diante, já dá pra sentir a ironia dos caras. O negócio funciona mais ou menos assim: uma voz em off fala "- Manual para concertos de rock nº 287: levante as duas mãos para o teto e grite". No telão aparece o boneco com a coreografia daquilo que foi falado. E todo mundo imita. É como se fossemos ratos de laboratório. Como se tudo fosse robotizado. Como se existisse uma fórmula perfeita. No bom-humor, os caras satirizam o que vier pela frente. É de morrer de rir. Principalmente quando eles incitam que as performances mais malucas que você vê no palco, é "para disfarçar a falta de competência no ramo". E aí você percebe que ao seu lado tem um roqueiro que grita, pula, berra milhares de urrúúúúús, se emociona, faz questão de citar os nomes das bandas pelos primeiros acordes da guitarra e eu pergunto: isso não seria uma tremenda... hipocrisia? Deixa pra lá.

P.S.:
como chama aquele negócio que os guitarristas usam pra tocar guitarra? Então, eu peguei um desse aí com a marca deles. De cara pro palco. Só podia mesmo. RÁ!

Blue Man Group 2009

O show é o máximo em sonoplastia e cor. Supercontagiante, quer dizer, você entra no esquema dos caras e a ideologia de "diversão sem preconceitos". A cada país que eles visitam há uma pequena adaptação de músicas. Dá pra acreditar que o trio (junto com uma banda imensa por trás) tocam "Detalhes", de Roberto Carlos, com as baquetas incandescentes naqueles canos de PVC? O tema foi inspirado nas bandas de rock, ou seja, para participar e se sentir membro de um grupo seleto de cabeludos, é só seguir o manual que é "oferecido" no show. Disso em diante, já dá pra sentir a ironia dos caras. O negócio funciona mais ou menos assim: uma voz em off fala "- Manual para concertos de rock nº 287: levante as duas mãos para o teto e grite". No telão aparece o boneco com a coreografia daquilo que foi falado. E todo mundo imita. É como se fossemos ratos de laboratório. Como se tudo fosse robotizado. Como se existisse uma fórmula perfeita. No bom-humor, os caras satirizam o que vier pela frente. É de morrer de rir. Principalmente quando eles incitam que as performances mais malucas que você vê no palco, é "para disfarçar a falta de competência no ramo". E aí você percebe que ao seu lado tem um roqueiro que grita, pula, berra milhares de urrúúúúús, se emociona, faz questão de citar os nomes das bandas pelos primeiros acordes da guitarra e eu pergunto: isso não seria uma tremenda... hipocrisia? Deixa pra lá.

P.S.:
como chama aquele negócio que os guitarristas usam pra tocar guitarra? Então, eu peguei um desse aí com a marca deles. De cara pro palco. Só podia mesmo. RÁ!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Fahrenheit - 11 de setembro


Quem lê o Cá Aqui, por favor, não brigue comigo por ter assistido a um documentário tão importante como este só agora. E a ignorância corria solta até hoje. Até hoje MES-MO! Já tirei do guarda-roupa meu moleton Ralph Lauren com a bandeira americana estampada no peito, afinal, não tenho orgulho desse povo estranho. Aliás, se eu conseguir não colocar os pés dentro de uma das lojas da rede do McDonald´s, eu juro que pulo. Não estou exagerando, não. Tudo aquilo revolta. É demais.
Quem ainda não assistiu (duvido muito, mas tudo bem), sugiro ver depois (muito depois) das refeições ou (bem) antes. Dá náuseas da grande injustiça. Raiva. É como aquele outro filme "Obrigado por fumar".... urghhhhhhh!!!!
  • sinopse

O diretor Michael Moore investiga como os Estados Unidos se tornaram alvo de terroristas, a partir dos eventos ocorridos no atentado de 11 de setembro de 2001. Os paralelos entre as duas gerações da família Bush, que já comandaram o país, e ainda as relações entre o atual Presidente americano, George W. Bush, e Osama Bin Laden.

P.S.: sem querer, muito por acaso, hoje é dia 11 de setembro, 8 anos depois.


Fahrenheit - 11 de setembro


Quem lê o Cá Aqui, por favor, não brigue comigo por ter assistido a um documentário tão importante como este só agora. E a ignorância corria solta até hoje. Até hoje MES-MO! Já tirei do guarda-roupa meu moleton Ralph Lauren com a bandeira americana estampada no peito, afinal, não tenho orgulho desse povo estranho. Aliás, se eu conseguir não colocar os pés dentro de uma das lojas da rede do McDonald´s, eu juro que pulo. Não estou exagerando, não. Tudo aquilo revolta. É demais.
Quem ainda não assistiu (duvido muito, mas tudo bem), sugiro ver depois (muito depois) das refeições ou (bem) antes. Dá náuseas da grande injustiça. Raiva. É como aquele outro filme "Obrigado por fumar".... urghhhhhhh!!!!
  • sinopse

O diretor Michael Moore investiga como os Estados Unidos se tornaram alvo de terroristas, a partir dos eventos ocorridos no atentado de 11 de setembro de 2001. Os paralelos entre as duas gerações da família Bush, que já comandaram o país, e ainda as relações entre o atual Presidente americano, George W. Bush, e Osama Bin Laden.

P.S.: sem querer, muito por acaso, hoje é dia 11 de setembro, 8 anos depois.


Cara pintada

Eu só tenho uma coisa pra dizer: se amanhã, no Blue Man Group, tiver um lugar pra pintar a cara de azul, nem precisa falar como eu vou voltar, né? Quem tá na chuva, coloca a capa, mas deixa a cara de fora. RÁ!


Cara pintada

Eu só tenho uma coisa pra dizer: se amanhã, no Blue Man Group, tiver um lugar pra pintar a cara de azul, nem precisa falar como eu vou voltar, né? Quem tá na chuva, coloca a capa, mas deixa a cara de fora. RÁ!


quinta-feira, 10 de setembro de 2009

É dia 19/09, das 17h às 22h

Samba de Raíz, das 17h - 22h
Rua República do Iraque nº 1263, Campo Belo
Dia 19/09 - sábado
R$ 5,00 de couvert

Dá uma olhada no lugar que lindo. Mais informações sobre o bar D´Gusta (aqui)



É dia 19/09, das 17h às 22h

Samba de Raíz, das 17h - 22h
Rua República do Iraque nº 1263, Campo Belo
Dia 19/09 - sábado
R$ 5,00 de couvert

Dá uma olhada no lugar que lindo. Mais informações sobre o bar D´Gusta (aqui)



terça-feira, 8 de setembro de 2009

Tem dia pra tudo

E nao é que hoje é o Dia Mundial da Preguiça? Pois é, MUN-DI-AL. Sei lá por quê eu tô tão espantada com essa palavra. Achei que fosse só aqui no Brasil.


Tem dia pra tudo

E nao é que hoje é o Dia Mundial da Preguiça? Pois é, MUN-DI-AL. Sei lá por quê eu tô tão espantada com essa palavra. Achei que fosse só aqui no Brasil.


Segunda vegetariana


Many years ago, I was fishing and I
was reeling in the poor fish. I realized, "I am killing him - all for the passing
pleasure it brings to me." And something inside me clicked. I realized, as I
watched him fight for breath, that his life was as important to him as mine is
to me.

Sem apologias, porque o Cá Aqui não é espaço para isso, mas essa declaração saiu na MC de agosto/09 em um destaque que relata que Paul McCartney é a "voz oficial da campanha global Meat Free Monday", ou seja, propõe que as pessoas deixem de comer carne às segundas-feiras. Agora, o que a declaração acima tem a ver com a campanha global, isso eu não entendi até agora. Mas beleza, a vida segue, e concluo que essa idéia pode mesmo ser uma boa iniciativa.


Segunda vegetariana


Many years ago, I was fishing and I
was reeling in the poor fish. I realized, "I am killing him - all for the passing
pleasure it brings to me." And something inside me clicked. I realized, as I
watched him fight for breath, that his life was as important to him as mine is
to me.

Sem apologias, porque o Cá Aqui não é espaço para isso, mas essa declaração saiu na MC de agosto/09 em um destaque que relata que Paul McCartney é a "voz oficial da campanha global Meat Free Monday", ou seja, propõe que as pessoas deixem de comer carne às segundas-feiras. Agora, o que a declaração acima tem a ver com a campanha global, isso eu não entendi até agora. Mas beleza, a vida segue, e concluo que essa idéia pode mesmo ser uma boa iniciativa.